Prefeitura de Mauá fará reforma no Terminal Central de ônibus

Fonte DIÁRIO DO TRANSPORTE|02/10/2020

Obras estão previstas para serem concluídas em até dois anos e meio

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Mauá, no ABC Paulista, informou nesta quinta-feira, 1º de outubro de 2020, que fará uma reforma no Terminal Central de ônibus.

Segundo a administração municipal, as obras estão previstas para serem concluídas em até dois anos e meio.

A Demac Construções Empreendimentos e Participações S/A foi a concessionária que venceu a licitação e executará as obras de reestruturação e as complementares, incluindo urbanização e infraestrutura. O edital prevê a concessão de direito de uso parcial do Terminal.

Ainda de acordo com a Prefeitura, a empresa realizará as obras considerando o calçadão da Rua Rio Branco, a Avenida Barão de Mauá, a Praça XXII de Novembro e outras áreas de passeio, totalizando 23.148 metros quadrados. Entretanto, será preciso preservar o patrimônio histórico da Praça.

Com a reforma, o terminal terá os moldes de estações de metrô da capital paulista, com escada rolante e áreas locáveis para lojistas como galerias e quiosques.

O objetivo, segundo a Prefeitura, é oferecer uma estrutura com capacidade de atender mais passageiros.

INTEGRAÇÃO

Além disso, a intenção da Prefeitura é de que futuramente haja a integração tarifária entre o transporte coletivo municipal, o intermunicipal e os trens metropolitanos.

Atualmente, não existe um convênio e um programa de compensação tarifária entre o município, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos).

Entretanto, não há previsão para que a integração entre em vigor. O processo dependeria de negociação entre a Prefeitura, o Governo do Estado e os operadores de transporte, no caso, a Suzantur e as empresas de ônibus EAOSA e Viação Ribeirão Pires.

LICITAÇÃO PARA OBRA DE TERMINAIS SUSPENSA

Conforme noticiado pelo Diário do Transporte, o desembargador-relator Paulo Barcellos Gatti, da 4ª Câmara de Direito Público, do TJSP – Tribunal de Justiça de São Paulo, mandou suspender o resultado da licitação dos terminais de ônibus Jardim Itapark, Jardim Itapeva e Jardim Zaíra, por classificar que a empreiteira vencedora ofereceu a proposta mais cara.

Jessica Marques para o Diário do Transporte